quarta-feira, 10 de maio de 2017

RESENHA CRÍTICA EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA E MÚLTIPLAS DEFICIÊNCIAS

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU PSICOPEDAGÓGIA

RESENHA CRÍTICA

EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA E MÚLTIPLAS DEFICIÊNCIAS

Conceituando Educação Inclusiva - (P.N.E.E) Política Nacional de Educação Especial define o reconhecimento da Educação Especial como Prioritária se configurando como um sistema paralelo ao ensino voltado par o atendimento especializado de indivíduos com deficiências, distúrbios graves de aprendizagem e/ ou de comportamento, altas habilidades ou superdotação.
Conhecimentos teóricos e práticos, estratégias, metodologias e recursos para auxiliar o desenvolvimento  exige uma postura ativa de orientação aos sistemas de ensino para a criação de programas de formação de professores e para o desenvolvimento de projetos pedagógicos inclusivos na perspectiva da  aprendizagem de alunos com deficiências e outros comprometimentos.
A Prática Pedagógica na Escola Inclusiva - Uma tarefa coletiva onde pais, terapeutas, serviços especializados e escola visem o objetivo da promoção global do aluno. Visão construtivista que parte das possibilidades e potencialidades do aluno em um espaço de convivência onde haja o princípio de solidariedade e fraternidade em um olhar mais amplo.
Tipos de Deficiência - Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999, é considerada pessoa com deficiência: Deficiência física, Deficiência auditiva, Deficiência visual, Deficiência intelectual, Múltiplas deficiências, Física e psíquica,  Sensorial e psíquica, Sensorial e física, Física, psíquica e sensorial.
Características Gerais - Depende do nível de desenvolvimento e de alteração de cada ordem e a necessidade especial condizente de cada pessoa.
Currículo: Eixos da Proposta Pedagógica Múltiplas Deficiências – Requer ajustes nos objetivos, adaptações nos conteúdos, atividades e conteúdos adaptados. Priorizar o brincar, a literatura, a conversa, e a arte como forma de  prazer, interação, expressão de sentimentos.
 Adaptações de Acesso ao Currículo – Necessidades específicas, requerem adaptações específicas que estão garantidas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Nº 9.394/96 e pelas Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica (BRASIL, 2001)
Adaptações Organizacionais e Didático-Metodológicas - Ajustes, organização de espaço, tempo, agrupamentos (número de alunos em sala), adaptação de materiais, equipamentos e recursos pedagógicos devem estar explicitados no projeto pedagógico de inclusão.
Acessibilidade – Acessibilidade na perspectiva da educação inclusiva, afirma a lei de acessibilidade de 2004 no Artigo 8acessibilidade deve ser incorporado aos conteúdos programáticos ou curriculares. Dividida em acessibilidade em seis dimensões: arquitetônica, comunicacional, metodológica, instrumental, programática e atitudinal.
.
Politica  Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva -  Ação política, cultural, social e pedagógica. Concepção de direitos humanos, que conjuga igualdade e diferença como valores indissociáveis. O Ministério da Educação/Secretaria de Educação Especial apresenta a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva visa constituir políticas públicas promotoras de uma educação de qualidade para todos os alunos.  PNE, Lei nº 10.172/2001, objetiva a construção de uma escola inclusiva que garanta o atendimento à diversidade humana. Convenção da  Guatemala (1990) promulgada no Brasil pelo Decreto nº 3.956/2001, exige uma reinterpretação da educação especial, compreendida no contexto da diferenciação. Resolução CNE/CP nº 1/2002, que estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica define formação docente voltada para a atenção à diversidade. Lei nº 10.436/02 reconhece a Língua Brasileira de Sinais – Libras como meio legal de comunicação e expressão Decreto nº 5.626/05, que regulamenta a Lei nº 10.436/2002, visando ao acesso à escola dos alunos surdos, dispõe sobre a inclusão da Libras como disciplina curricular, a certificação de professor, instrutor e tradutor/intérprete de Libras.
Diagnóstico da Educação Especial – Censo Escolar/MEC/INEP coleta dados referentes ao número geral de matrículas seja em escola pública privadas e privadas sem fins lucrativos. Censo Escolar foi transformado em um sistema de informações on-line, o Censo Web, que qualifica o processo de manipulação e o tratamento das informações.
Objetivo da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva – Objetivo o acesso, a participação e a aprendizagem dos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades, superdotação nas escolas regulares.
Diretrizes da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva - Conclusão programas de enriquecimento curricular, o ensino de linguagens e códigos específicos de comunicação e sinalização e tecnologia assistiva.


Conclusão

 Em um contexto geral, seja educacional ou social ainda temos um longo caminho a percorrer referente a inclusão. As falas devem tomar-se concretas, atitudes devem sobrepor papéis teóricos bem elaborados e fazer valer os direitos legítimos de uma educação inclusiva de qualidade sem “maquiagens”.
É necessário refletir como alunos deficientes múltiplos podem ter mais do que o acesso ao espaço escolar; acesso a possibilidades reais de desenvolvimento em seus processos de aprendizagem a partir de estratégias, recursos e intervenções que venham de encontro com as suas reais necessidades educacionais. Assim, além de se fazer necessário o conhecimento das especificidades apresentadas por estes sujeitos, para que seus processos de aprendizagem possam ser de fato beneficiados, é importante buscar compreender como podemos intervir e estimular adequadamente.
 Buscar uma prática pedagógica que abranja ações que venham a oportunizar o desenvolvimento de potencialidades.
Este processo de inclusão escolar precisa estar comprometido com ações voltadas efetivamente para o desenvolvimento dos alunos, independentemente da severidade de seus comprometimentos. Suas necessidades precisam ser identificadas e atendidas; as políticas públicas precisam estar mais próximas da realidade destes educandos para que de fato eles tenham a possibilidade de se desenvolver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário